Medo de recuperar judicialmente

Tem horas que os dirigentes de empresas se veem tão pressionados, que se sentem frente a uma sinuca de bico. As contas param de fechar, os vendedores não conseguem bater as metas estipuladas, os impostos começam a não ser pagos e parece que, por mais que a equipe e a direção se esforcem, o fim do túnel fica cada vez mais longe.

 Se na sua empresa a luz vermelha está se acendendo, é hora de procurar ajuda. Como profissionais especializados em recuperação judicial, sabemos que essa decisão não é fácil de ser tomada. A sensação de fracasso, de dever não cumprido e de incompetência muitas vezes acompanha a postergação da decisão.

 Apesar desses sentimentos e da impotência diante da situação, é preciso reagir. Primeiro porque a conjuntura do país está muito complicada e é por esse mesmo motivo que muitas empresas estão tendo que procurar uma saída para os problemas financeiros que estão enfrentando. Em segundo lugar é preciso agradecer essa possibilidade dada pela justiça de se ter um fôlego para respirar, planejar e sair da crise com dignidade, aproveitando essa chance para rever métodos, processos e mercado, além de parcelar os débitos de 24 a 36 meses. E, por último, não é vergonha nenhuma pedir ajuda. Grandes empresas como a construtora OAS  e a empresa de telefonia Oi entraram com um pedido de recuperação judicial.

 Quanto mais cedo sua empresa enfrentar seus problemas financeiros, mais fácil será dar a volta por cima.